quarta-feira, agosto 20, 2008

De Partida


DE PARTIDA

Cansei desta vida
de dias sofridos
de esperas inúteis
de sobras de amor.

De dias vazios
de noites insones
de vida mosaico
composta de cacos
de amores perdidos
de planos desfeitos
e esperanças vãs
- mosaico que é feito
com pedras de dor.

Cansei, vou embora,
já estou de partida,
pra onde, nem sei;
só sei que é pra longe
de tudo que fui,
de tudo que sou
que não mais serei.

E irei construindo
meus novos caminhos,
deixando tristezas,
lembranças, cansaços
e desilusões.

Levando na mala
(e é tudo que tenho),
meu auto-respeito
e a dignidade
que nunca perdi;
bastante amor próprio,
lições aprendidas,
determinação.

Estou de partida,
um tempo encerrando,
sem dúvida ou medo,
sem olhar pra trás,
- com a alma lavada,
coração em paz...

(Eloah Borda - D.A.Reservados)

2 comentários:

Um poeta... disse...

Boa noite, Eloah, já leste o comentário onde eu te disse que revelaria minha identidade, e quando? Com certeza já leste, e creio então que não excluirás meus comentários. Certo?
Perdoa a intimidade do tratamento, mas também sou gaúcho, e esse negócio de você pra lá e prá cá, me deixa atrapalhado, e acabo misturando os tratamentos.
Lindos novos poemas - De Partida, então, e Cinzas, maravilhosos.
Abraços.
Um poeta...

Rita & André disse...
Este comentário foi removido pelo autor.