quinta-feira, outubro 07, 2010

Amigo Mar


Amigo Mar

Amigo mar, eu já não posso ver-te,
já não te alcança mais o meu olhar,
pois, pouco a pouco, essas construções,
foram tomando o espaço entre nós dois,
- daqui, só posso ouvir teu marulhar...

Se esse teu marulhar é canto ou pranto,
depende, dizem, dos ouvidos que te escutam -
que aos corações felizes, soa canto,
mas soa pranto, aos corações feridos...

... amigo mar, por que tu choras tanto?!...

(Eloah Borda)

Talvez goste de ver: Nas Trilhas dos Sonetos e Poliantéia

4 comentários:

Fabrício disse...

Adoro ler Eloah Borda.


Um abraço

ju rigoni disse...

Esse poema fala-me de bem perto... Eu, que não concebo o dia a dia sem o alívio de nele mergulhar minha alma. Lindíssimo, Eloah!

Bjs, querida. E inté!

José disse...

Eu que sou amigo do mar
ouço-o de noite e de dia
ando por aqui a navegar
neste espaço da poesia

Tudo o que seja poesia eu gosto

bom dia até breve,
José.

Bruno Soft disse...

Somos peixes
Tudo que queremos é nosso mar
Íntegro e calmo
Para que possamos viver
Sem nos afogar

Muito bom poema