quinta-feira, maio 17, 2012

Dor de Amor

            
                                                         
Dor de Amor

Quando um grande amor se vai,
magoando, profundamente,
nossa alma e coração,
pior do que a dor recente,
por mais que seja pungente,
é quando, ela já cansada,
de doer dentro da gente,
se torna resignada,
num doer indiferente,
difuso, vago, constante,
sem ferir nem ir embora,
e apenas se faz presente,
não sendo mais contundente,
mas também sem nos deixar
- como a espessa neblina
que nem se transforma em chuva
e nem deixa o sol brilhar...

(Eloah Borda)

Um comentário:

MOISÉS POETA disse...

Até da dor tiramos poesia ...

Beijo grande , Eloah !