sexta-feira, abril 10, 2009

Meu vício

MEU VÍCIO

Eu tenho um vício, um grande vício eu tenho,
que adquiri quando era ainda menina,
e desde então tem sido a minha sina,
sempre com ele convivendo eu venho.

Eu nunca me livrei dele, e convenho,
também jamais tentei, porque me anima,
me inebria, me encanta, me fascina,
e é grande o prazer que dele obtenho.

Como sonhar, como expressar, sem ele,
meus devaneios, minhas fantasias,
as minhas aflições e alegrias?

O meu poetar é dependente dele,
vive a sonhar quartetos e tercetos,
deste meu vício, que é fazer sonetos...

(Eloah Borda-D.A.reservados)

4 comentários:

ju disse...

E por favor Eloah, jamais abandones o vício de escrever. Isso deixaria em abstinência a mim e a todos aqueles que aqui vêm para desfrutar do prazer de ler os seus belos sonetos. Eu quero é mais, viu?

Bjs e inté!

Rita disse...

E que vício mais saudável para todos nós esse seu, minha querida! Suas poesia, seus sonetos são alimentos para a nossa alma.
não tente jamais se livrar dele ok? ;)

Estou com saudades também minha amiga! Querendo notícias suas, saber se você está bem...
Espero que sim e que retorne assim que possível.

Beijinhus de alma! :)

Thiago Gonzaga disse...

Parafraseando Gabriel, o pensador:
" Sou viciado, apaixonado e dependente, de um vício diferente, que alimenta a minha mente e leva-me em frente a cada dia" rs

Mas prefiro o seu texto,rs
Bjo!

Thiago Gonzaga disse...

As palavras realmente viciam. Sem contra-indicação.