quinta-feira, setembro 15, 2011

Saudade Antiga


Saudade antiga

Mais nada sei de ti... Somente sei
desta saudade minha – doce, amiga -
que é uma saudade tua, e tão antiga,
que até com ela já me acostumei.

É uma saudade boa, suave, mansa,
que me acompanha sempre, branda e calma;
já fez seu ninho dentro de minha alma
que, de lembrar de ti, jamais se cansa.

Serena dor que, resignada, aceito
pois preenche o vazio de tua ausência,
como se fora a tua própria essência,
aconchegada dentro do meu peito.

... se é estar longe de ti, minha verdade,
que estejas tu
em mim, nesta saudade...

(Eloah Borda - D.A.Reservados)

2 comentários:

Anna D'Castro disse...

Olá querida Eloah,

Estive um pouco afastada por motivos de saúde, mas já estou de volta... e como não podia deixar de vir até aqui a este teu espaço sempre com poemas magníficos e/ou sonetos perfeitos e tão tocantes....

"Serena dor que, resignada, aceito
pois preenche o vazio de tua ausência,
como se fora a tua própria essência,
aconchegada dentro do meu peito."

Como o sofrimento se torna tão belo dito deste tei jeito.

Saudades Eloah. Espero que estejas bem... o melhor que Deus te permita.

Beijos meus e também da Rita, que me pergunta sempre se tenho notícias tuas...

Ela está estudando...
aguardo tuas notícias.

Anna

Telma Lemos disse...

Adorei o blog!!Já estou seguindo!!Aproveite e siga o meu também!! http://pesdescalcos2.blogspot.com/ Bjos